Secretário de Saúde Aderlândio França se reúne com equipe de Vigilância Epidemiológica

Por Reginaldo Palazzo


Secretário de Saúde Aderlândio França se reúne com equipe de Vigilância Epidemiológica da Regional do Juruá.

O Secretário de Saúde Aderlândio França recebeu para uma reunião a senhora Milena Silva, chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica da Regional do Juruá, Tarauacá e Envira. Participaram também da reunião Anselmo Filho, Gerente da Vigilância em Saúde do Juruá e Jeferson Lima, Biólogo responsável pela Vigilância Ambiental.


O objetivo da reunião foi orientar visando a sincronização das ações municipais apontando o que pode ser desenvolvido para um melhor atendimento à população juruaense em geral.


Sobre a Vigilância Epidemiológica


A Vigilância Epidemiológica é “um conjunto de ações que proporciona o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos”.



O objetivo principal é fornecer orientação técnica permanente para os profissionais de saúde, que têm a responsabilidade de decidir sobre a execução de ações de controle de doenças e agravos, tornando disponíveis, para esse fim, informações atualizadas sobre a ocorrência dessas doenças e agravos, bem como dos fatores que a condicionam, numa área geográfica ou população definida.


E ainda, constitui-se importante instrumento para o planejamento, a organização e a operacionalização dos serviços de saúde, como também para a normatização de atividades técnicas afins.


A vigilância Epidemiológica é abrangente, envolve ações tanto de controle de Doenças Transmissíveis e de agravos e Doenças não Transmissíveis.


O Secretário Aderlândio apresentou os projetos em andamento para ajustar alguns pontos chaves.


“ O que está na nossa alçada estamos fazendo, e a previsão é que as coisas melhorem em curto espaço de tempo. Temos várias licitações em andamento desde insumos a equipamentos na ordem de 5 milhões de reais via FNS”. Apontou Aderlândio.