• Reginaldo Palazzo DRT/AC 203

Secretário de Saúde Aderlândio França recebe integrantes do IDAF



Reginaldo Palazzo - O Secretário de Saúde Aderlândio França reuniu-se hoje (06) em seu gabinete com os Srs. José Everton Arruda, médico veterinário COESA/IDAF CENTRAL; Aldemir Carneiro Júnior, médico veterinário Chefe da Unidade em Tarauacá e Samir Eleamen médico veterinário e inspeção IDAF Tarauacá/Feijó; todos integrantes do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Acre (IDAF).


O objetivo da reunião foi criar uma possível parceria entre a Secretaria de Saúde (SEMSA), e o IDAF como forma de fomentar através de acordos no nível da administração pública visando assim um ganho de saúde em toda a sociedade civil, o que é de extremo interesse público.


Foco

O eixo principal da reunião foi implementar o conceito de saúde única para combater os diversos tipos de doenças que ameaça nosso ecossistema com ênfase principal nesse momento na raiva saindo assim da ‘mesmice’, não descartando obviamente as outras como brucelose, febre aftosa, pneumonia bovina, carbúnculo, tuberculose dentre outras.

O Secretário Aderlândio França definiu esse tipo de reunião como “Altamente produtiva, pois debatemos não só o assunto da saúde bovina do município, mola mestra da nossa economia, mas debatemos também sobre o leite in natura e controle populacional de cães”. Resumiu Aderlândio


O que é o conceito de saúde única “One Health” em inglês?


Segundo o site bioemfoco nos últimos anos, o termo One Health vem ganhando espaço cada vez maior dentro das discussões científicas que tratam de questões ligadas à saúde e epidemiologia. No português, Saúde Única, o termo trata da integração entre a saúde humana, a saúde animal, o ambiente e a adoção de políticas públicas efetivas para prevenção e controle de enfermidades trabalhando nos níveis local, regional, nacional e global.


A expressão ainda é pouco conhecida fora do âmbito da saúde, mas os conceitos que o embasam são bem antigos. O médico patologista alemão Rudolf Virchow (1821-1902) já afirmava no século 19 que entre animais e a medicina humana não há divisórias; e nem deveria haver. E foi ele o responsável por cunhar o termo zoonose (doenças e/ou infecções transmitidas para o homem através dos animais).

Ao longo do século seguinte, cientistas ligados a várias especialidades constataram similaridade nos processos infecciosos causados por doenças em seres humanos e animais. No entanto, a medicina humana e a veterinária seguiram trajetórias independentes uma da outra. Somente nos últimos anos, que se teve início a um esforço de aproximação nos estudos entre essas duas áreas.


Com o lançamento da obra “Veterinary Medicine and Human Health” em 1984, o médico veterinário norte-americano Calvin W. Schwabe (1927-2006) discutiu e reforçou a importância da junção entre saúde humana, animal e ambiente. No livro, ele adota a expressão “One Medicine”, que mais tarde passa a ser conhecida como “One Health”.


No mundo, estima-se que as zoonoses causem 2,5 bilhões de casos de doença e 2,7 milhões de mortes anualmente


Um esforço colaborativo

Em 2007, durante a Conferência Ministerial Internacional sobre Influenza Aviária e Pandêmica, realizada em Nova Deli, na Índia, que contou com a presença de representantes de 111 países e de 29 organizações internacionais, os governos e governantes foram encorajados a aplicar o conceito One Health, construindo pontes de ligação entre os sistemas de saúde humana e animal.


No ano seguinte, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), a Organização Mundial de Saúde (OMS) e Organizações das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) passam a desenvolver estratégias conjuntas dentro do conceito One Health, com o objetivo de reduzir os riscos emergenciais e a disseminação de doenças infecciosas resultantes da interface entre animais, humanos e ecossistemas.



Missão

O IDAF tem como missão garantir a produção animal e vegetal no Estado do Acre, com padrões de qualidade sanitária assegurando a saúde pública e a efetiva participação no mercado.


Ao contrário do que muitos pensam o IDAF não fiscaliza apenas animais, mas também produtos de origem vegetal. O Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal tem como principal objetivo garantir a identidade e qualidade dos produtos e subprodutos destinados ao consumidor acreano, através da inspeção e fiscalização das unidades produtoras ou processadoras desses alimentos.


Legislação