VACINAÇÃO CONTRA GRIPE H1N1 IMUNIZOU DETENTOS E SERVIDORES DAS UNIDADES PENAIS DE TARAUACÁ


Cumprindo orientação do Ministério da Saúde, o a Prefeitura de Tarauacá, através da Secretaria Municipal de Saúde, realizou a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe H1N1 no sistema prisional de Tarauacá.


Ação aconteceu Penitenciária Moacir Prado e na unidade carcerária Prisional de Ressocialização de Tarauacá Feminina.


SEGURANÇA


Para que os internos pudessem ser imunizados contra a gripe H1N1, foi realizada toda uma dinâmica de segurança com intuito de conduzir os internos até o local de vacinação. Os procedimentos aplicados foram desde revistas pessoais; passando pela retirada dos internos do ‘banho de sol’ ou da cela – de três em três internos, por vez -, ao regresso deles aos pavilhões, onde a revista pessoal foi aplicada novamente, evitando, assim, o porte de objetos ilícitos.

Vacina


Para a população carcerária, a imunização é de suma importância, pois protege contra três subtipos do vírus da gripe – A (H1N1), A (H3N2) e influenza B. O Ministério da Saúde garante que a vacina contra a gripe é segura e reduz complicações que podem produzir casos graves da doença, internações e óbitos. Pesquisas demonstraram que o ato de se vacinar pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias, e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.


A vacina demora 15 dias para fazer efeito no organismo, por isso o Ministério da Saúde realiza a campanha antes do inverno, período de maior circulação dos vírus da influenza, que se estende até agosto.


Neste ano, a vacina contra a gripe foi priorizada para população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional; crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores.