...
 

PREFEITA MARILETE VITORINO ENTRE OUTROS PREFEITOS ACRIANOS PARTICIPAM DE REUNIÃO COM A ELETROBRÁS


A prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino e prefeitos de demais municípios acrianos participaram de uma reunião ontem (09/11), com o diretor presidente da Eletrobrás do Acre Ricardo Xavier, em busca de soluções imediatas para que as cidades e a Empresa Fornecedora chegassem a um acordo sobre a energia elétrica nos municípios.


Entre as principais reivindicações estão:


- A renegociação da cobrança da Taxa de Administração do Convênio da COSIP que estar atualmente estipulada em 10% mensal foi solicitado que seja alterado para 5%;


- Relatório de Notificação de Recuperação de Consumo de Iluminação Pública, quais foram os critérios utilizados para o estabelecimento dos valores;


- Prorrogação por mais de 30 dias para as notificações de Recuperação de Consumo de Iluminação Pública vencidas.


Além desses problemas, os Prefeitos abordaram alguns questionamentos, com a falta e oscilação de energia constante em alguns municípios; quais as medidas de expansão da ELETROBRÁS em execução e a executar; cronograma de entrega das referidas obras e previsão de melhorias.


Outros questionamentos que os prefeitos abordaram foram o de estabelecer um planejamento em parceria com as prefeituras para a execução do Programa Luz para Todos; se existe algum projeto de regularização dos clandestinos; estabelecer um planejamento em parceria com as prefeituras para para a execução das podas das árvores;

Criar um calendário para novos encontros que irão monitorar a resolução destes problemas, e por fim, a inclusão da AMAC em cadeira cativa em fóruns, comitês e quaisquer reuniões que tenham como temas algo relacionado direto ou indiretamente aos municípios e prefeituras do Estado do Acre.


A prefeita Marilete colocou aos representantes da Eletrobrás todas as reclamações e problemas sofridos pela comunidade por falta de energia elétrica em suas residências.


A reunião teve como objetivo discutir a renegociação das dívidas pendentes que os prefeitos herdaram das gestões passadas, mas os prefeitos alegaram que os valores cobrados estão comprometendo as combalidas finanças das prefeituras.